3 Armadilhas Que Impedem A Cura da Ansiedade e do Pânico.

Conheça os 3 grandes mitos que impedem o início da cura da ansiedade e do pânico.

Conforme o tempo passa e crescemos saindo da infância para a adolescência e a vida adulta, a vida começa em algum ponto, para muitos de nós, a virar rotina. Dia após dia, não importa o que estamos fazendo, dirigindo, andando, comendo, conversando, indo na padaria ou nos divertindo com a família e amigos, nossas mentes ligam o piloto automático e continuam a desempenhar suas atividades habituais de pensar, interpretar, criar expectativas e de se relacionar com as pessoas.

No entanto, essas atividades habituais e automáticas também incluem hábitos que podem nos manter presos no estresse, na ansiedade, na depressão e até em comportamentos viciosos.

Aqui estão os principais hábitos da nossa mente e uma prática de percepção desses hábitos que te ajudarão desligar o piloto automático e ter mais controle sobre a sua ansiedade e a vida em geral.

3 hábitos comuns que sabotam sua melhora:

Transformar tudo em catástrofe — se você está com ansiedade e pânico, pode ser que reconheça essa armadilha da sua mente.

É aqui que a sua mente interpreta as situações e eventos sempre como a pior coisa que poderia ter acontecido… o pior cenário. Se o seu coração está acelerado, você pensa que vai morrer, que vai ter um ataque cardíaco.

Se o seu chefe não te deu bom dia ou te olhou diferente no corredor, você tende a pensar que vai ser demitido. Reconhece isso? Esse estilo de pensar vai ser o melhor apoio que você tem para continuar estressado, ansioso e par ter uma crise de pânico. É a fórmula do sucesso para isso.

Menosprezar o positivo e exagerar o negativo — Esse hábito mental é o que normalmente rejeita ou minimiza qualquer evento ou resposta positiva e amplia e exagera os negativos.

O copo está sempre meio vazio. Se você se pega se dizendo algo positivo e logo em seguida dizendo “mas” seguido de uma frase ou coisa negativa, você está craque nessa prática.

E pode ser nas coisas mais simples: “que dia lindo de sol! MAS parece que amanhã vai chover”. Sem a percepção de que faz isso, sem tomar consciência, esse tipo de pensamento pode certamente estar te mantendo dentro do quadro de ansiedade e do pânico.

Achar o Culpado — Esse é delicado. Tem que ter muito cuidado aqui. Todos nós fazemos isso. Achar um culpado. Apontamos o dedo para o culpado facilmente mesmo que seja a gente mesmo. “se meu chefe não fosse tão exigente no trabalho, eu não seria tão ansioso/a”. “É minha culpa que meu casamento não está dando certo”. “tem algo errado comigo pois não consigo curar minha ansiedade”.

Perceba-se e faça uma análise logo após você ter esse tipo de pensamento. Resolveu alguma coisa? Geralmente esses pensamentos são improdutivos e não levam a nenhuma solução efetiva. Só faz você se sentir mais ansioso/a e mais emperrado e se sentindo mal consigo mesmo.

E o que fazer?

Aprender e cultivar a habilidade de estar mais consciente desses pensamentos-armadilha vai te ajudar a se livrar deles e mudar o foco da sua atenção para formas mais efetivas de lidar com a vida e os eventos que te cercam. Esses vão continuar existindo, você querendo ou não.

Por exemplo, se você se percebe com uma taquicardia e começa a transformar isso em catástrofe, achando que vai ter uma crise de pânico ou que vai morrer, diga a você mesmo/a “estou transformando algo banal em uma catástrofe nesse momento” e foque a sua atenção na sua respiração por 10 segundos. Conte até dez. Isso irá estabilizar a sua mente. Em seguida, memorize “que outras razões possíveis fariam meu coração disparar? ”.

Você está cansado/a, estressado, não dormiu? Mentalize “uma crise de ansiedade ou pânico não podem causar nenhum dano físico em mim. Isso é uma crença falsa…isso não é perigoso”. Trocar o pensamento negative e catastrófico nesse momento por um positive e realista é crucial para evitar o desencadeamento da ansiedade.

Se o caso for de um pensamento de culpa, de achar um culpado, CANCELE. Simplesmente diga “estou tentando achar um culpado nesse momento” e substitua por um pensamento racional e realista de que culpar-se ou culpar alguém não vai resolver nada. Volte para a respiração para estabilizar sua mente e retorne ao que você estava fazendo no momento que os pensamentos negativos surgiram.

Não é um processo que vai trazer mudanças da noite para o dia. Mas nada na vida acontece da noite para o dia. Costumo dizer que a vida não dá saltos. É uma prática diária que vai te dar controle para eliminar pensamentos negativos e improdutivos que desenvolvemos e que são adubo para a ansiedade e o pânico. Se não praticarmos essa percepção no dia-a-dia, nossas mentes ficarão no automático e nós ficamos esperando que uma cura cura da ansiedade e do pânico milagrosa apareça e resolva tudo por nós.

Lembre-se que a ansiedade só se instalou em você justamente por que você permitiu que esses pensamentos se tornassem hábitos e crenças. Reverter isso segue a mesma lógica, mas requer um pouco de prática. Permita-se fazer isso ao menos uma vez ao dia. 1 minuto do seu dia…quanto representa um minuto no seu dia. Te digo: considerando apenas o tempo que você fica acordado/a, representa 0,1% do seu tempo. É muito, muito pouco esforço.

Reserve esse um minuto para perceber-se. Marque uma hora e pergunte-se: ‘onde está minha mente nesse momento? ’. Você pode se pegar numa dessas armadilhas e mudar tudo. Só com o poder do seu pensamento em desarmar essas armadilhas.

Tente ser paciente nesse processo da cura da ansiedade e do pânico e não se julgue se essas armadilhas da mente aparecerem e você percebê-las. Julgar-se como errado ou ruim é outra armadilha da mente. Estamos com a mente cheia delas.

Inspire. Expire. E apenas mude o foco do pensamento.

Faça esse exercício de 3 minutos aqui e aprenda a mudar o foco do pensamento.